Classificação de Tipografia #2- Thibaudeau

Continuando a parte dois sobre classificação tipográfica, hoje falaremos sobre a Thibaudeau. Se quiser ver o primeiro post, sobre a classificação Vox-ATypI, clique aqui.

Thibaudeau

Foi desenvolvida pelo francês Francis Thibaudeau no início do século XX e é considerada por alguns como o primeiro sistema de classificação tipográfica. Não é muito utilizada hoje em dia pois não contempla fontes mais modernas.

Serifadas

Como o nome já diz, fontes com serifas. São dividas de acordo com a forma de suas serifas, como a seguir.

Elzeviriana

Também chamadas de Romanas, são inspiradas pelas letras clássicas romanas e manuscritos humanísticos. Possuem serifas triangulares.

Tipografia Garamond

Didot

Também chamadas de Romanas Modernas, possuem um contraste alto entre linhas e possuem serifas lineares e finas.

Tipografia Bodoni

Egípcias

Muito utilizada na indústria, são fontes que parecem mecânicas. Possuem contrastes muito baixos e normalmente serifas slab retangulares e grossas.

Tipografia Rockwell

Sem Serifas

Também chamadas de sans-serif, como o nome já diz, não possuem as serifas. Elas são derivações das Egípcias, com seu baixo contraste.

Tipografia Gill Sans

Outras

Tentativa de agrupar os outros tipos de fontes mais comuns.


 

Manuscritas

Fontes que lembram a escrita com a pena ou caneta tinteiro. Normalmente possui letras ligadas umas as outras.

Tipografia Mistral

Decorativas

Também chamadas de Fantásticas, são tipografias experimentais e decorativas criadas para finalidades especificas imitando algum estilo ou gênero.

Tipografia Banco

Conclusão

Bem mais simples do que o Vox-ATypI mas com uma base igual, esta classificação não é muito utilizada atualmente porque para muitas pessoas, falha em contemplar alguns tipos. Para você que não é tão exigente, pode ser uma boa forma de organizar suas fontes de forma simples e fácil.

Abraço

No Comments

Comentários