Projetando a Abertura de Game of Thrones

Não é preciso explicar este fenômeno incrível que é Game of Thrones, certo? Nos últimos 7 anos vem tomando o mundo como um tsunami a cada episódio novo. A série de televisão é inspirada pela série de livros do autor George R. R. Martin, que teve seu primeiro volume lançado em 1996, nos Estados Unidos.

Neste post iremos dar uma olhada na abertura da série e em alguns aspectos legais de conceito e produção.

 

Equipe

 

Estúdio: Elastic     |     Diretor: Angus Wall

 

Este estúdio incrível também fez aberturas para series como: Demolidor, True Detective e Westworld. Mas seu trabalho não se limita a isso, eles também trabalham com trailers, animações e até vinhetas para televisão. Sugiro que vocês deem uma olhada no portfólio deles: Elastic.

Concepção

Mapa Got Livro

Mapa dos livros

Todo livro de fantasia ou ficção histórica possui um mapa pra localizar o leitor e nas Crônicas de Gelo e Fogo não é diferente. Na verdade, o mapa nessa história é quase como um personagem. Assim como a Terra Média, os fãs de Game of Thrones tem um carinho muito especial com o mapa. Conhecem cada canto, cada cidade principal e cada mar. Os produtores da série sabendo disso, queriam colocá-lo na TV também.

A ideia inicial da abertura era um corvo que voaria de Porto Real para Winterfell, mostrando o mapa no caminho de seu voo. Porém durante o processo de criação do episódio piloto, Dan Weiss and Dave Benioff , os criadores da série, disseram que “as pessoas estão confusas sobre onde elas estão” e pediram para o Estúdio Elastic criar pequenos mapas para serem mostrados toda vez que uma cena trocava de região. A equipe fez 5 desses mapas e eles testaram, porém o resultado não foi satisfatório porque este modelo interrompia a narrativa. Então decidiram deixar o mapa para a abertura, fazendo algo mais complexo.


Durante o processo de criação surgiu a ideia de fazer algo extremamente complexo que refletisse as maquinações da trama. Foi levantado o conceito das máquinas de Leonardo da Vinci que com suas engrenagens logo agradou a equipe, porque eles queriam utilizar materiais do universo da história, coisas com que artesão e ferreiros trabalhassem como madeira, ferro, couro, tecido e pedras, por exemplo.

Engrenagens de Leonardo da Vinci

Engrenagens de Leonardo da Vinci

“Imaginem uma torre medieval onde monges estão lá em cima olhando pra o mapa todo vivo, como se eles fossem os pastores dele”

 

O formato da “terra” seria o de uma tigela, como na técnica de fundo infinito usado na fotografia, porém mesmo assim algumas cenas ainda mostrariam fora do cenário com o movimento da câmera. O jeito de resolver isso foi colocar outra “tigela” em cima, formando uma esfera, onde a gravidade estaria sempre empurrando do centro para fora com o sol, no centro iluminando a cena, conceito popularizado pela nave Rama, na obra de Arthur C. Clarke em 1973, que também inspirou construções em obras como o jogo Mass Effect e os filmes Elysium e Interstellar. Para mais informações sobre este tipo de habitação espacial procure Esfera de Bernal.

Representações da Esfera de Bernal

Depois disso foi a hora de fazer os sketches, concept arts e transforma-los em 3D, no Maya.

Requisitos

A abertura de Game of Thrones, diferente da grande maioria das séries, é mutável. Dependendo de onde os personagens estão no episódio a animação é alterada (O que mostra a importância do mapa para esse universo). Porém há três requisitos importantes a serem respeitados nessas alterações.

 

Porto Real, Winterfell, a Muralha e onde a Dany estiver (mesmo que ela não apareça no episódio) devem obrigatoriamente aparecer na abertura.
Não há verba nem tempo o suficiente para criar todo e qualquer local que aparece na série, por isso são escolhidas as “capitais” de cada região para representá-los.
Eles tem apenas 90 segundos de abertura (parte por conta da música)  e contando com os dois primeiros requisitos, não sobra muito tempo, espaço e dinheiro para muitas outras coisas.

 

Segundo Angus Wall, a razão para o requisito sobre Daenerys é porque ela estando em outro continente a abertura consegue mostrar o quão grande o mundo é, que Westeros é apenas uma das engrenagens do mundo.

Sobre o segundo requisito ele usa o seguinte exemplo: Quando Sansa e Mindinho estão na estrada e se encontram com Pod e Brienne. São quatro personagens principais, viajando próximos por um número de episódios, e todos eles estão na região leste, próximo ao Ninha da Águia, portanto foi utilizado o Ninho na abertura.

Produção

O tempo de trabalho inicial foi de aproximadamente 6 meses e cada temporada com a adição de novos locais este tempo cresce. De acordo com James Charisma, a equipe possui cerca de 25 pessoas trabalhando exclusivamente neste projeto, mas Angus disse que a equipe da Elastic pode passar de 100 pessoas, contando com empregados e freelancers para entregar todas as demandas.

Wall diz que eles se preocuparam em ser o mais fiel possível aos livros, porque sabiam que fãs estariam olhando cada detalhes. Martin não participou da criação da abertura e ele só a viu na estreia. “Ele ficou muito feliz com ela, o que significa muito pra gente.”

Segundo o The New Yorker, os fãs nervosinhos de Martin se denominam “GRRuMblers”, uma junção de G.R.R.M e grumbler, resmungões em inglês.  Martin contou a Laura Miller certa vez que “se eu f… algo, eles virão atrás de mim com tochas e forquilhas.”

Angus Wall: Eu gosto do fato das pessoas pensarem que não estão entendendo todos os detalhes da abertura. Porque eles a verão 10 vezes na primeira temporada e eu gostaria que a cada vez elas descobrissem algo que não tinha visto ou entendido antes.

No início da produção de cada temporada a equipe lista e prioriza os locais mais interessantes para a abertura. Eles utilizam normalmente 3 ou 4 caminhos de câmera por temporada e reutilizam alguns já prontos sempre que podem pra agilizar a produção.

Locais

Seguindo um dos requisitos, temos na primeira temporada Winterfell, Porto Real, a Muralha e Pentos.

Locais Game of Thrones

Além de Vaes Dothrak, Ninho da Águia e as Gêmeas.

Locais Game of Thrones

Para segunda temporada temos Pedra do Dragão, as Ilhas de Ferro, Harrenhal e Qarth.

Locais Game of Thrones

Na terceira aparece Astapor, Correrio e Yunkai.

Locais Game of Thrones

Para a quarta temos Meereen, Bravos, Fosso Cailin e Forte do Pavor.

Locais Game of Thrones

Na quinta apenas Dorne e na sexta nenhum local novo. Já na sétima, temos Cidade Velha.

Locais Game of Thrones

Gravuras

O Sol além de iluminar a cena, conta a história antes da série, uma espécie de prólogo. Também contem o logo de Game of Thrones.

A primeira gravura mostra a queda de Valíria com o reino pegando fogo.

A queda de valíria

A segunda gravura mostra a Rebelião de Robert Baratheon contra os Targaryen, sendo ajudado pelos Lannisters e Starks.

Já a terceira mostra a vitória e coroação de Robert com as outras casas ajoelhando perante o cervo.

Prêmios

  • Emmy Award por Outstanding Main Title Design

 

O que acharam do conceito e curiosidades pessoal? Deixem seus comentários acerca do post abaixo e vamos conversando. Teremos mais posts sobre aberturas interessantes de séries porque achei muito interessante de fazer este.

Abraço.

No Comments

Comentários