Saul Bass, o designer gráfico do cinema

Saul Bass foi um designer gráfico que é mais conhecido por seus trabalhos com cinema, sendo tanto posters como introduções e encerramentos de filmes (title sequence, em inglês). Vamos ver um pouco do trabalho deste homem, como parte dos nossos posts sobre making of.

Saul Bass

May 8, 1920 — April 25, 1996

 

Quem foi Saul Bass?

 

Nascido no Bronx, Nova York, em 1920 e filho de imigrantes judeus do leste da Europa, Bass começou sua carreira na década de 40, criando posters para filmes como Champion (1949), Death of a Salesman (1951) e The Moon Is Blue (1953). Otto Preminger, impressionado com seu trabalho encomendou com ele a abertura do filme Carmen Jones (1954) iniciando aí, a grande carreira do designer. Durante seus 40 anos de trabaho, Bass trabalhou com alguns dos maiores diretores da história como Alfred Hitchcock, Stanley Kubrick e Martin Scorsese.

Segundo o Art of the Title, em 1955, Elaine Makatura começou a trabalhar com Bass e após finalizarem a abertura do filme Spartacus, de 1960, os dois se casaram. A partir daí a maiorias de seus trabalhos foram feitos com Elaine.

Você pode saber mais sobre ele em seu livro, Saul Bass: A Life in Film & Design.


 

Algumas title scenes famosas de Saul Bass

 

Aqui tem um apanhado de trechos de várias title scenes de Bass, mas em baixo coloquei algumas completas pra vocês.

 

O Homem do Braço de Ouro (The Man With The Golden Arm, 1955)

Um filme que trata sobre o vício das drogas, um tema polêmico na época. Sua missão era capturar o drama dessa situação sem ser sensacionalista. A linhas tortas e o braço desfigurado têm a missão de representar os problemas que o personagem passa no filme pela sua situação.

 

O Pecado Mora ao Lado ( The Seven Year Itch, 1955)

Comédia romântica estrelada por Marilyn Monroe que contém uma das cenas mais famosas do cinema: O vestido branco da atriz sendo levantado por um jato de ar saindo de respiradouro do metrô.

 

The Shrike (1955)

 

 

Como Nasce um Bravo (Cowbow, 1958)

O filme é baseado em uma história real que se passa no velho oeste americano. Segundo Bass, essa abertura tenta capturar o sabor, a excitação e o grande humor do período utilizando os desenhos e tipografias da época.

 

Anatomia de um Crime (Anatomy of a Murder, 1959)

Em uma das mais famosas de suas aberturas, Saul Bass apresenta o filme de forma literal ao mostrar cada membro da equipe em uma parte do corpo. Ele começa com o diretor e o corpo inteiro e os membros são separados como parte de um quebra cabeça com os outros nomes.

 

Gosta de Game of Thrones? Dá uma olhada neste post.

 

Onze Homens e um Segredo (Ocean’s Eleven, 1960)

Inspirado pelas luzes e cores da cidade de Las Vegas, cenário principal do filme que originou o reboot com George Clooney e Brad Pitt.

 

Spartacus (1960)

Saul Bass disse: O que procuramos trazer foram múltiplas camadas de rostos elegantes e desdenhosos, que representa a dualidade do Império Romano. Opressão e brutalidade e também a sofisticação que contribuiu tanto para a civilização ocidental.

 

Pra finalizar, sugiro que entrem no Art of the Title e vejam alguns outros vídeos.

  • A Volta ao Mundo em 80 dias (Around the World in Eighty Days, 1956)
  • Um Corpo que Cai (Vertigo, 1958)
  • Intriga Internacional (North by Northwest, 1959)
  • Psicose (Psycho, 1960)
  • O Jogo Proibido do Amor (The Facts of Life, 1960)
  • Amor, Sublime Amor (West Side Story, 1961)
  • Something Wild (1961)
  • Tempestade Sobre Washington (Advise & Consent, 1962)
  • Deu a Louca no Mundo (It’s a Mad Mad Mad Mad World, 1963)
  • Bunny Lake Desapareceu (Bunny Lake is Missing, 1965)
  • That’s Entertainment, Part II (1976)
  • Cassino (Casino, 1995)
No Comments

Comentários